Minha foto
Para esta geração saber da importância dos seus ancestrais, pois também fizeram história, mesmo com os recursos existentes da época.

Equinócio

 Número Áureo (astronomia).  

             Indica o ano atual do Ciclo Lunar. Cuja duração é de 19 anos Julianos. Ver tabela: 



Cada Ano deste Ciclo Lunar (1/19 - 2/19 -  ... - 18/19 - 19/19) oferece uma determinada data da Páscoa.  Entre 22 de Março à 25 abril.

Ver Tabela:



 




Fonte imagem da tabela: @leonelsouza3  (twitter de 04 de abril de 2015) 

Alguns lugares que encontrei na internet, (Portugal e Florianópolis)


Foz Côa/Portugal: Danças e cânticos saúdam equinócio da primavera com rituais de danças, música, poesia e cânticos saúdam o equinócio da primavera. Sábado, entre as 07:00 e as 07:30, em recinto amuralhado...
                 
                        Situado desde o Parque Arqueológico do Vale do Côa, o templo megalítico de Chãs
                                      - conhecido por Pedra da Cabeleira –




possui uma gruta em forma de semi-arco, com cerca de 4,5 metros de comprimento
veja fotos.





Equinócio                                                                 Fonte: www.templos-do-sol.com


em Floripa...





Em Florianópolis, SC. Pedras revelam um fio de sol...



2ª Caminhada Arqueoastronômica
            Equinócio de Outono
       Sexta-feira, 21 de março de 2008
Caminhada Arqueoastronômica - Morro da Galheta - Florianópolis, SC.
                   Na manhã deste dia os pesquisadores Adnir Ramos e Alexandre Amorim acompanharam o nascer do Sol; Sítio arqueoastronômico do Morro da Galheta.
                  Uma camada espessa de nuvens acima do horizonte impediu a observação do nascer do Sol às 06:18. No entanto, 7 minutos depois foi ainda possível observar o feixe de luz solar atravessando a minúscula janela formada pelas pedras A, B e C. Confira as imagens abaixo:



                                               06:12, seis minutos ANTES do nascer do Sol.




                    Janela minúscula formada pelo alinhamento das pedras A, B e C. Como se vê na imagem, a pedra A está sobre a pedra B. Já a pedra C está mais além das outras duas. 
                  A imagem foi tomada com o observador posicionado numa quarta pedra (D) que serve de anteparo. Se o céu estivesse completamente limpo seria possível observar o feixe de luz solar projetando-se em anteparo. Mas com a presença algumas nuvens pelo horizonte, aguardou-se o Sol atravessar a pequena janela (ver foto adiante). 

                 Se o observador desloca-se à esquerda, a janela aumenta até desfazer-se o triângulo, perdendo-se o alinhamento. Se o observador desloca-se à direita, a janela fecha-se e não é possível observar o feixe de luz solar. Desta forma, o observador deve se posicionar no ponto em que foi obtida esta imagem. 
                 E nesta posição o Sol nasce exatamente nos equinócios, 
                        tanto de outono (~21/03) como no da primavera (~21/09)




                             06:25,  sete minutos após o nascer do Sol ainda foi possível observar os últimos raios solares atravessando a janela de observação. Esta imagem repete-se apenas em duas ocasiões durante o ano:  Durante equinócio de outono e durante equinócio da primavera.



                                 Visão geral das pedras principais que fazem parte do sítio arqueoastronômico do Morro da Galheta, destacando as pedras A, B e C.
                               Adnir Ramos defende a idéia de que povos primitivos que habitaram a Ilha de Santa Catarina usaram alinhamentos deste tipo para formar seu calendário local. 
                              Alexandre Amorim, por sua vez, afirma que, mesmo que tais povos não tenham utilizado os alinhamentos, as pedras são ferramentas úteis para mostrar às pessoas hoje em dia sobre como funciona um observatório primitivo.

                                                                                                             Fonte:  www.immabrasil.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

E ainda: